Author: Bruna Rocha

Nos canais digitais e no inbound marketing, a estratégia é a mesma: atrair as pessoas certas. Mas não basta só isso, a estratégia deve ter como objetivo fazer com que essas pessoas queiram consumir ainda mais conteúdos e se tornem clientes.

No entanto, é preciso oferecer algo a mais, uma oferta especial ou outra ação, para que faça sentido ao usuário e, dessa forma, seja concluída a jornada de compra. Então, surge a “página de aterrissagem”, a landing page.

Por ser tão relevante, não existe uma estratégia melhor de conversão de pessoas do que com o uso de landing pages. 

No entanto, é necessário um passo a passo de como criar uma landing page ideal, para isso nós preparamos um conteúdo prático que vai tornar sua busca ainda mais eficiente.

O que é uma landing page?

Também conhecida como página de captura ou página de destino, a landing page tem como objetivo gerar conversões, ou seja, o foco principal dessa página é a conversão dos visitantes, com informações diretas, sem distrações que fazem com que os usuários realizem a ação desejada de acordo com a estratégia aplicada.

É praticamente impossível gerar bons resultados no marketing digital, sem saber como criar uma landing page de forma inteligente ou sua funcionalidade. Saber o que é, quando ela deve ser usada e todos os elementos que a compõem, é parte fundamental de toda a sua estratégia de marketing.

Quando ela deve ser usada?

Uma landing page deve ser usada para a geração de leads ou para outras ações diretas, como vender um produto ou cadastrar em um evento. Assim, ela é a ferramenta ideal para garantir o aumento das visitas no seu site e prospectar clientes para possíveis ganhos.

Se você enxergar a necessidade de segmentar seus contatos, se precisa reduzir o custo de clientes (tendo em vista que é uma opção barata e que gera boas oportunidades), se você almeja solucionar problemas e auxiliar o usuário entregando conteúdo de qualidade, se quer conhecer e entender melhor o seu cliente oferecendo melhores experiências e padronizando os atendimentos, etc., sem sombra de dúvida esse é o momento ideal para usar uma landing page.

O que deve conter na sua landing page?

A seguir, listamos os principais elementos para uma landing page de sucesso e audiência, confira:

Título

Os títulos devem despertar interesse e curiosidade do leitor, deve conter informações claras referente ao que o usuário pode “ganhar” com a conversão.

O mesmo serve para os subtítulos que devem conter informações complementares e que podem ser decisivas na hora de convencer o usuário a obter tal produto ou serviço.

Conteúdo

Geralmente o conteúdo de uma landing page é o “convite” que faz o usuário se tornar um lead para o seu negócio. Nós chamamos de materiais ricos conteúdos, como ebooks, infográficos, planilhas ou qualquer outro conteúdo que seja bom o suficiente a ponto de valer o fornecimento de seus dados.

Entenda que um bom conteúdo deve ir além de todos os benefícios daquele produto ou serviço. Ele deve fornecer soluções para as dores dos usuários, na maioria das vezes os clientes são todos pela emoção.

Invista num bom copywriter e veja a diferença na conversão!

Imagem

Sabe aquela velha história de “comer com os olhos” ou que “uma imagem vale mais que mil palavras”?

É exatamente assim quando falamos de landing page. Por isso, é muito importante que a imagem escolhida seja diferenciada e consiga transmitir a mensagem sem a necessidade de textos, conseguindo prender e despertar a atenção do cliente potencial.

Call to action

O call to action ou CTA é a “chamada para ação”, significa o uso de palavras e frases que causam impacto ao leitor para que ele tome uma decisão imediata.

Se você precisa cativar seus clientes e converter seus leads, tenha uma call to action bem engajada e eficaz.

Com suas infinitas possibilidades, as LPs precisam funcionar bem e trazer bons resultados. Contudo, é fundamental que você se atente a todos os pontos citados aqui, compreendendo quais são as necessidades da sua persona, como gerar valor para ela e como criar páginas que realmente convertem. 

Gostou da publicação? Já usa a Landing Page na sua estratégia de marketing?

Com a revolução digital, a tecnologia se tornou uma ferramenta indispensável para qualquer empresa ou produto que queira adentrar o mercado competitivo. 

Conhecer as etapas da criação de sites, como uma página na internet, por exemplo, não pode mais ser considerada uma mera opção. Trata-se de um fator de alta relevância, que deve ser priorizado no planejamento de um empreendedor.

No entanto, o processo de criação de sites é um trabalho minucioso e que exige muita atenção. E como todo processo, ele é composto por etapas que devem ser respeitadas para que não haja frustrações e, claro, obtenha-se resultados positivos.

Neste artigo, vamos elencar as principais etapas da criação de sites e sua composição. Acompanhe-nos.

Por que é tão importante ter um site para sua empresa?

A principal importância de se ter um site para sua empresa é a possibilidade de tornar o seu trabalho conhecido, gerar mais visibilidade, conquistar o maior número de pessoas (clientes) possível e garantir autoridade no mercado.

Imagine um local que possibilite prestar todas as informações necessárias para o seu público, de onde estiverem, sem precisar que se desloquem até uma loja física/escritório, para saber mais sobre um produto ou um serviço? Entenda, que essa é a oportunidade de profissionalizar ainda mais o seu negócio.

Um site bem elaborado permite que você gere boas alternativas para a sua publicidade, construindo uma correlação eficiente com as estratégias de marketing.

Você deve se perguntar por que é tão importante ter um site para sua empresa, não é?

Confira o porquê a seguir:

  1. Visibilidade. Quem não é visto… 
  2. Monitoramento. Acompanhar o desempenho de atração e conversão é primordial, 
  3. Visitação à página. Conferir a permanência e o interesse dos seus visitantes (que podem se tornar clientes em potencial) tem de ser frequente.
  4. Alcance. É necessário compreender o processo das suas campanhas por meio de métricas, para obter os resultados esperados.
  5. Relevância. Item prioritário, já que o conteúdo traduz o que a sua empresa quer dizer. Aspecto que deve ser criteriosamente considerado até aqui. 

Definitivamente, investir na criação de sites é de extrema importância, gera confiança e proporciona exclusividade para seus clientes. 

A Fusão Online permite que sua empresa esteja sempre atualizada, compatível com as tendências do marketing digital, proporcionando um fluxo constante de visitação e fidelização, independentemente do porte de seu negócio.

Etapas de criação de sites

1. Briefing

É por aqui que o planejamento se inicia. O briefing é como um resumo do projeto, de tudo que precisa ser feito para elaboração de planos de ações e estratégias, voltados para resolução de possíveis problemas. 

São instruções passadas para compreensão tanto do cliente para empresa, quanto da empresa para sua equipe de colaboradores envolvidos. Através dele que acontece a captação de todas as informações necessárias para garantir o sucesso de um projeto bem desenvolvido.

2. Conteúdo

Na hora da criação de sites, o conteúdo é a base fundamental para o desenvolvimento da página. Para criá-lo, deve-se ir muito além das descrições sobre a empresa, o produto ou os serviços prestados. É necessária uma boa pesquisa de mercado para se familiarizar com a concorrência, a partir desse cenário, inicia-se a produção de conteúdo. 

Nessa etapa, é exigido qualidade e diferencial. Um texto bem redigido, uma linguagem apropriada e bons recursos visuais… Por consequência disso, há uma preocupação em respeitar minuciosamente cada fase do processo de criação.

3. Layout

É um termo em inglês que corresponde à forma como os textos e as imagens serão organizados em uma página, ou seja, o layout é outra etapa muito importante e necessária na criação de sites. É ele que faz sua página ser visualmente atraente para quem a acessa, é a organização dos ícones, dos elementos gráficos, das imagens e dos demais elementos visuais. 

Além disso, ele precisa ser prático, responsivo, intuitivo e agradável para o público. É um trabalho realizado geralmente por um designer que consegue unir a necessidade, com a beleza e funcionalidade do site, criando uma identidade visual para o seu negócio.

4. Programação

A programação é a etapa que vai fazer o site funcionar de verdade. O profissional responsável por essa parte chama-se programador. Ele irá transformar sua página em um site eficiente utilizando HTML e CSS para criação de layout e design (como vimos anteriormente). 

O programador vai garantir que o site seja ágil e que apresente o menor número de erros possíveis, ao incluir os plugins ideais para cada segmento e a depender da necessidade.

5. Manutenção

Essa é a última etapa da criação de sites. Tão importante quanto a publicação da página, a manutenção periódica garante o bom funcionamento de cada recurso utilizado, como o conteúdo e as imagens. É ela que visa manter o direcionamento do público diante de tantas novidades do segmento. 

A manutenção funciona para registrar os dados e alterações feitas no decorrer do desenvolvimento, observando o resultado dos pontos positivos e negativos. Por isso, como mencionamos anteriormente, a exigência de se manter atualizado e constante. 

Como todas as outras, essa etapa exige o trabalho de profissionais qualificados, e é com o potencial deles, que a última e mais demorada etapa do processo precisa ter qualidade na entrega e superar todas as expectativas.  

A qualidade na entrega, o acompanhamento e obtenção de resultados extraordinários em sua empresa se dá quando se mantém parceria com grandes profissionais. Percebe-se que contar com a expertise de uma agência de marketing faz toda a diferença ao se criar sites. 

E a comunicação não para por aí: as redes sociais são também alicerces na geração de autoridade e, claro, na conversão de público.

 

 

Quem não se lembra de ser interrompido(a) por uma publicidade que nem sempre trazia a solução para os seus problemas? E mais: empurrava produtos de qualidade duvidosa que você nem precisava…

A revolução digital e o comportamento do consumidor ditam as regras da publicidade – ao que tudo indica o tradicional parece ter ficado para trás.

Para se inserir no mercado competitivo, empresas passaram a criar outras formas de encantar e manter seus clientes. Daí surgiu o Ibound Marketing.

Conheça agora todas as etapas dessa estratégia a seguir. Acompanhe a leitura!

O que é Inbound Marketing?

Traduzido como Marketing de Atração, o Inbound Marketing visa se conectar com o público-alvo com conteúdo de valor e relevante. 

Além disso, compõe ações online que objetivam atrair visitantes para um site e convertê-los em consumidores efetivos dos seus produtos ou serviços (os chamados leads).

O Inbound Marketing consiste em quatro fases principais que integram o marketing digital efetivo. Elas são: atrair o cliente, fechar a compra e fidelizar esse mesmo cliente no período pós-compra. Veja a seguir cada etapa do Inbound Marketing.

Etapas do Inbound Marketing

Desmistificar cada uma das etapas e apontar qual caminho seguir são ações importantes e merecem atenção para aqueles que desejam ter resultados positivos. Conheça as etapas do Inbound Marketing abaixo:

1ª Etapa: Atrair

O foco aqui é atrair perfis realmente interessados (qualificados) em obter suas soluções nos canais da sua empresa. Nesta etapa, é preciso se ater a algumas estratégias para que esse público seja cativado.

Como já mencionamos em outros artigos do nosso blog, as ações precisam começar pelo marketing de conteúdo (site, blog, SEO, redes sociais, campanhas), ou seja, produzir conteúdos relevantes que ajudem os possíveis clientes sua empresa.

Considere sempre “prender” a atenção do público, assim a taxa de visitantes poderá crescer significativamente.

2ª  Etapa: Converter

Agora, é hora de converter seus visitantes em leads, isto é, captar o contato deles para iniciar um relacionamento. Nesta etapa, é preciso oferecer algum benefício útil ao visitante em troca dos seus contatos, como nome, e-mail e telefone. 

Parece simples? Bom, nem tanto. Cerca de 97% dos visitantes de um site não são convertidos na primeira visita. Por isso, ter uma boa estratégia pode mudar esse cenário de vez. 

Opte por estratégias como estas: landing pages, pop-ups, banners e formulários, ofertas (webinars, checklists, planilhas, infográficos, ferramentas e e-books).

3ª Etapa: Relacionar

Nesta etapa, o objetivo é manter o lead engajado. É preciso criar estratégias entre ele e sua empresa para que ele permaneça interagindo, com intuito de ele encontrar a solução em sua empresa – note que ele já deve estar em momento de compra. Agora, prepare-se para argumentar, utilize e-mail marketing, fluxo de nutrição e automação de marketing.

4ª Etapa: Vender

Esta etapa ocorre nos processos de Inbound de diversas maneiras, a depender de sua empresa. A venda pode ser online, no próprio site da empresa, ou por meio de um vendedor. 

A tomada de decisão virá depois de o vistante ter passado por todas essas etapas dentro ou fora do seu site.

Na jornada do cliente, é possível verificar exatamente qual é o momento que a venda será realizada. Neste caso, é primordial que se construa uma estratégia de venda mais qualificada que as já convencionais – isso fará toda a diferença e o resultado virá.

5ª Etapa: Analisar

Uma das mais importantes etapas do Inbound Marketing mostra justamente os dados gerados, por meio de análise, por meio de um levantamento dos resultados obtidos nos processos. Com essas informações, é possível mensurar o sucesso das ações, reverter ações que não deram tão certo, otimizar e impulsionar. 

É o processo de avaliar o que funciona na sua estratégia ou não.

O Web Analytics e o Marketing Bi possuem excelentes ferramentas para mensuração e análise de suas ações de Inbound Marketing, por exemplo.

Como usar o Inbound Marketing na sua estratégia

Quando analisamos cada etapa do Inbound Marketing, percebemos a importância na lógica do seu processo. Mesmo que sejam intuitivas, as etapas nos revelam como lidar com as especificidades e nos norteiam a como trabalhar com inteligência e retorno.

Ao descobrir quais as melhores estratégias, a relação com o consumidor terá mais chance de dar certo e o seu negócio prosperar. 

Você pode conhecer mais sobre o Inbound Marketing e as demais estratégias digitais que te ajudarão a impulsionar os resultados da sua empresa, com a equipe da Fusão Online.

Uma empresa que investe em sua gestão de redes sociais entende o valor que esse recurso tem e não o considera mais uma novidade ou diferencial, mas sim a melhor forma de atingir maior visibilidade e comunicação com seus clientes.

Isso fez com que os empreendedores ficassem atentos à necessidade de ter uma equipe responsável por esse diferencial.

O que poucos sabem é que as empresas que estão um passo à frente, são as que possuem as melhores estratégias, analisam seus concorrentes e reconhecem que precisam ir muito além de simples publicações.

Não sabe como funciona ou por onde começar uma boa estratégia de gestão de redes sociais? Este artigo foi feito para você!

Importância de montar uma estratégia de gestão de redes sociais

Já é fato que as mídias sociais são um dos principais meios de comunicação entre empresas e clientes. Assim, a necessidade de uma boa gestão de redes sociais se torna cada vez mais evidente, tendo em vista o crescimento de produtos e serviços digitais.

De forma resumida, o gerenciamento de redes sociais é um conjunto de ações usadas para otimizar o uso dessas ferramentas Trata-se de um processo que se inicia antes mesmo da produção de conteúdos das postagens e vai até o monitoramento de resultados.

Para que todos esses fatores sejam colocados em prática e realmente funcionem, só uma estratégia bem estruturada é capaz de converter em ganhos e superar todas as expectativas, por isso ela é tão importante.

Veja a seguir algumas vantagens de se montar uma estratégia de redes sociais:

  1. Melhora sua forma de divulgação;
  2. Gera maior credibilidade;
  3. Gera consistência;
  4. Aumenta a organização e agendamento de publicações;
  5. Otimiza e monitora seus resultados;
  6. Fortalece sua marca;
  7. Estabelece contato mais direto com seus clientes;
  8. Aumenta o volume de produção e número de vendas.

Ou seja, sem um bom plano você pode estar colocando tudo a perder, inclusive seu tempo e dinheiro. Com uma estratégia bem definida, sua empresa não será mais “uma na multidão”.

Como começa a gestão de redes sociais da sua empresa?

Conheça sua persona

É muito importante que sua empresa descubra qual o perfil do cliente ideal para o seu negócio. É preciso conhecer o cliente de forma detalhada, com características bem específicas, como idade, profissão, qual rede social é mais presente…

Isso ajuda a entender suas “dores” ou necessidades e fará com que sua empresa saiba qual a melhor e mais direta forma de conquistar esse cliente. Sua persona nada mais é que o cliente ideal para você e para o seu negócio.

Entenda em quais redes sociais ela está e quais conteúdos consome

Após criar sua persona e ter certeza de que ela está bem definida, fica mais fácil saber onde seu público marca presença nas redes. Sabe aquela frase que diz “o artista vai onde o povo está”? É isso! Considere que sua persona é o artista e precisa ir onde seu público está.

Da mesma forma que é necessária uma pesquisa, um maior detalhamento na hora de montar sua persona, o mesmo acontece para descobrir qual o público mais presente, qual conteúdo mais consomem e em quais plataformas estão.

Por isso a importância da gestão de redes sociais, ela que vai te auxiliar no levantamento desses dados. Independentemente da sua persona, lembre-se que não apenas ela frequenta as redes sociais, então marque sempre sua presença e conquiste ainda mais autoridade.

Qual a dor da sua persona?

Para entender e conseguir identificar as dores da sua persona, existem estratégias direcionadas que podem te auxiliar nesse processo. Uma delas é alinhar informações com sua equipe comercial/vendas. Eles estão na “linha de frente” quando se trata de negociação, então apresentam facilidade no momento de compreender a dor do cliente. Eles estão atentos em quais são as expectativas do consumidor, suas principais dúvidas na hora de finalizar uma compra e as razões que os levam a desistir dela.

Criar um formulário é uma estratégia primordial para identificar a dor da sua persona, saber o que ela pensa, como ela age, sua situação de vida… Sua intenção com essas perguntas é personalizar seu atendimento, é oferecer ajuda naquilo que a pessoa realmente precisa, na sua dor.

Baseado nessas respostas e nas análises feitas pela sua equipe de gestão de redes sociais, o ideal é que sua empresa passe pelo processo de autoanálise, ou seja, crie perguntas para si própria e com suas respostas consiga identificar onde se encaixam possíveis transformações e melhorias para o seu negócio.

Separamos algumas perguntas que podem ser consideradas um bom começo para realização dessa etapa:

  1. Qual a importância do meu serviço ou produto para o meu cliente?
  2. Quais os problemas do meu cliente eu ajudo a resolver?
  3. Qual prazo que o meu cliente tem para solucionar esse problema?
  4. O que pode acontecer caso a dor não seja solucionada?
  5. Qual é o sentimento do meu cliente ao solucionar essa dor?

Compreender essas respostas te ajudará não somente a chegar na dor da sua persona, mas a trazer novas soluções e possibilidades para o seu negócio.

Como você pode ajudá-la a resolver essa dor?

Sabemos que não existe uma fórmula mágica que soluciona todos os problemas possíveis e imagináveis dos nossos clientes, não é verdade? No entanto, com um pouco de empatia e uma boa estratégia, é possível que essa missão seja realizada com sucesso e traga bons resultados para o seu negócio.

      Veja a seguir algumas dicas infalíveis que podem solucionar a dor da sua persona:

  • Encontre soluções: tente não focar nos problemas, mas sim no que pode ser feito para solucioná-los, seja criativo!
  • Escute o seu cliente: valorize sua opinião, dê importância aos feedbacks, não menospreze aquele bate-papo na hora da compra, realize pesquisas objetivas e explicativas.
  • Analise os dados: organize as informações, é muito importante garantir que a comunicação da sua empresa esteja unificada entre os departamentos, todos precisam falar a “mesma língua”.
  • Use as ferramentas digitais: não esqueça de que você está em plena revolução digital, então use e abuse de sites, redes sociais e todo meio de comunicação que explore a solução de problemas.

Por fim, o cliente gosta de atenção e exclusividade. Personalize o atendimento, demonstre que se importa, ponha um ponto final nas suas dores e o fidelize.

Que tipos de conteúdo você consegue produzir?

Não é novidade para ninguém que o conteúdo que você produz faz toda diferença na hora de dar credibilidade à sua marca e se destacar nas redes sociais. Antes de qualquer coisa, você precisa entender seu público, só assim é possível oferecer o conteúdo ideal para ser consumido.

  • Tenha uma boa estratégia no processo de criação para que sua empresa chame a atenção de quem realmente interessa.
  • Esteja sempre por dentro dos conteúdos que estão em alta, siga perfis que tenham o público alvo semelhante ao seu, afinal sempre há o que aprender.
  • Tenha uma linguagem compatível e distinta para cada rede social, escolha uma delas para ser seu “carro chefe” e tenha constância.
  • No mais, seja criativo(a) para oferecer diferentes tipos de conteúdo. Quanto mais diversificado for seu modo de produzir, melhor.

Listamos aqui 15 tipos de conteúdos, para que você e sua equipe de gestão de redes sociais saibam quais podem ser produzidos:

1- Blog posts;

2- Podcasts;

3- Ebooks;

4- Vídeos;

5- Gráficos;

6- Fotos;

7- Perguntas e respostas;

8- Notícias;

9- Entrevistas;

10-  Live ou transmissão ao vivo;

11-  Passo a passo ou tutorial;

12-  Memes;

13-  Resultado de pesquisas e informações sobre o seu mercado;

14-  Gifs;

15-  Desenhos ou ilustrações.

Pronto! Escolha seu modelo de conteúdo ideal, deixe a página a cara da sua empresa, publique e monitore seus resultados.

Conte com especialistas

Após entender melhor como funciona e o quão importante é a gestão de redes sociais para sua empresa, chegou a hora de escolher os especialistas que farão parte dessa equipe. Sim! É preciso que pessoas especializadas e qualificadas estejam à frente das suas redes sociais.

Não faz sentido você querer todo um planejamento profissional para o seu negócio, se as suas redes sociais trabalham de forma amadora.

Essas pessoas precisam ter conhecimento técnico de métricas, resultados, competências de leitura e escrita, visão estratégica e de inovação, além de dominarem as ferramentas que auxiliam todo o processo de gestão, independentemente de qual rede social será ou não utilizada.

Caso sua empresa possua um departamento exclusivo para essa função, os  profissionais dessa área trabalham diretamente para você e farão parte dos seus colaboradores.

Outra opção é contratar uma empresa especializada, como a Fusão Online, que será responsável por suas redes sociais como uma prestação de serviço terceirizada

Escolha a opção que melhor se encaixa à sua necessidade, optando sempre por profissionais com referência e disponibilidade no mercado. 

Entre em contato com a nossa equipe!