Inbound Marketing

Quando certos nomes de elementos de marketing como Inbound Marketing e Outbound Marketing começam a surgir, a confusão aparece também, não é?

Contudo, se você estiver dedicado a aprender como impulsionar sua marca de forma correta, não tem outra alternativa, você tem que entender o que cada termo significa e, muito mais importante, como aplicar cada estratégia da maneira certa.

Para começar, vamos falar que ambas as estratégias, Inbound e Outbound, têm o objetivo de expandir o alcance das marcas e podem, inclusive, trabalhar em conjunto desde que haja o conhecimento necessário sobre como você quer que sua marca seja percebida pelo cliente.

Quer entender melhor? 

Vamos explicar tudo que você precisa saber, começando pelo essencial:

O que é o Inbound Marketing?

Em tradução livre, Inbound Marketing significa marketing de atração.

Deste modo, fica mais fácil entender que o objetivo desta estratégia não é ir atrás do cliente potencial, mas, sim, despertar interesse nele para que ele sinta necessidade de consumo no que sua empresa oferece.

Impulsionado pela pandemia e pelo alto uso da internet, a estratégia de atração por Inbound Marketing  é uma tendência que veio para ficar: somente no começo de 2021, a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) registrou aumento de 51% no tráfego da internet, respaldando o crescimento expressivo na mudança de hábito do consumidor que, ao ficar mais tempo em casa, aprendeu a consumir de dentro dela.

Partindo de estudos e técnicas, o Inbound Marketing é, atualmente, o maior responsável por aumentar a clientela de empresas, através do conteúdo direcionado ao comprador certo.

Percorrendo o caminho do funil de vendas, você aumenta o tráfego em seu site e redes sociais por meio de estratégias de conteúdo, definição de personas, termos SEO e muito mais recursos de divulgação online.

Por fim, é importante que você mantenha isso em mente: no Inbound Marketing, o cliente é atraído pela informação e permanece no seu conteúdo voluntariamente.

O que é o Outbound Marketing?

O Outbound Marketing, ou o que chamaremos aqui de “marketing tradicional”, busca o cliente de modo ativo, ou seja, a informação que ele está consumindo voluntariamente é interrompida para que a promoção da marca aconteça.

Funcional nos meios tradicionais de publicidade como comerciais de rádio, TV, revistas, patrocínios, etc, o Outbound Marketing é a forma de promoção a qual todos estamos acostumados em outros veículos de comunicação.

Contudo, ao navegar na rede, você provavelmente passa por ações de Outbound Marketing também: pop-ups, e-mails em massa, comerciais em meio ao conteúdo e interrupções de vídeos para publicidade, compõem ações nesse sentido no mundo digital e busca por seu próprio espaço por meio da atualização de conceitos.

As ações do Outbound Marketing não estão realmente focadas em atingir quem está interessado, mas, sim, atrair pessoas expostas às ações.

Agora, é provável que você tenha começado a entender a diferença, certo?

Qual a diferença entre Inbound Marketing e Outbound Marketing?

Segundo dados da Consultoria BIP, o mercado de e-commerce brasileiro movimentou, somente em 2020, mais de R$ 94 bilhões de reais.

Este aumento gerou um entendimento generalizado: as marcas já não podem se dar ao luxo de não ter presença digital e, à medida que o tráfego virtual cresce, aumenta também a necessidade de estudar o público-alvo da maneira correta, para compreender melhor como ele espera ser abordado.

Parece claro que, digitalmente, é preciso investir em publicidade e marketing digital. 

Atualmente, no Brasil, mais de 150 milhões de pessoas são usuárias das redes sociais. Considerando que somos uma população de cerca de 210 milhões, é fácil ver que a maioria absoluta consome informações e, invariavelmente, produtos conduzidos pelo Marketing Digital.

Contudo, apesar dessa certeza, há uma dúvida central:

Como abordar o cliente?

E, neste ponto, você precisa, realmente, entender a diferença entre Inbound Marketing e Outbound Marketing para escolher ou mesclar o que será melhor para o impulsionamento da sua marca.

No Inbound Marketing, você receberá e vai engajar pessoas que se importam com o conteúdo que você oferece e no Outbound Marketing você vai promover produtos ou serviços em busca de interessados através de interrupções na navegação voluntária.

Os dois precisam de investimento para se desenvolverem, entretanto, o Inbound Marketing exigirá investimentos menores com elevada possibilidade de resultados já que quase todo mundo está na rede procurando assuntos  para compreender.

Decida como você quer que sua mensagem chegue à sua audiência:

De forma voluntária ou não.

E, se o Inbound Marketing for a sua opção, a Fusão te ajuda a chegar lá.

Converse com a nossa equipe e conheça nossas estratégias!

As palavras-chave, ou keywords, tornaram-se uma realidade tão comum no cotidiano que já fazem parte do raciocínio da maior parte da população. Toda vez que utilizamos uma fonte de pesquisa, digitamos ali as palavras exatas do que queremos saber.

Entretanto, com o passar do tempo, as palavras-chave passaram a significar muito mais que atalhos de pesquisa e começaram a determinar qual conteúdo chega primeiro ao visitante que quer aprender algo novo.

A primeira premissa é a mais singular. Empresas são criadas para resolverem problemas e, quanto mais sua marca aparece nesta posição, mais clientes vai faturar. 

Somente do ano passado para cá, mais de 626 mil empresas foram abertas no Brasil, como registram dados do SEBRAE. Nesse sentido, você pode mensurar o que apenas 10% delas com material ativo na internet poderiam incluir de conteúdo na rede.

Sabemos que você deve estar se perguntando: e o que isso tem a ver com as palavras-chave?

Bem, nossa história começa aqui.

Qual o papel das palavras-chave na estratégia de inbound marketing?

Falamos acima da quantidade impressionante de empresas querendo resolver problemas, certo? 

Todo cliente busca alguma solução, e está aí a relação com as palavras-chave: quem digita um termo numa pesquisa, quer resolver problemas também e, neste momento de necessidade, sua marca pode ser a primeira – e mais animadora – solução para o problema que aquele leitor precisa resolver.

Daí, o relacionamento próximo entre palavras-chave (o meio de busca) com o inbound marketing (a forma de chegar a quem busca), pois tudo depende de como você estrutura seu material.

Neste aspecto, o principal conselho que podemos dar é: seja mais que específico. 

Quanto maior o uso de palavras-chave que delimitam a questão central do seu conteúdo, maiores as chances de um lead vir para você. 

Se você vende bolos, por exemplo, sua palavra-chave deve ser apenas bolo ou bolo de baunilha e morango, que é o que você vende? 

Assim, quem procura por baunilha e morango te encontra mais facilmente por aqui.

Outra dica é escolher palavras-chave de cauda longa quase toda vez. 

Desta forma, você atrai quem quer seu produto e não os demais que queriam bolos de banana ou chocolate. Assim, não compromete suas métricas de inbound marketing com dezenas de pessoas consumindo seu conteúdo sem qualquer intenção de consumir seu produto também.

Não é sobre quantas pessoas leem, mas é sobre a pessoa certa que vai ler.

É claro que a repetição do termo correto conta, contudo, nas especificações do Google. Por exemplo, o modo como você aplica o termo também dimensiona seu alcance. Sendo assim, não fique preso somente à repetição, foque na elaboração experiente também.

Para você chegar aqui, sendo alguém que procura por maneiras de entender melhor sobre palavras-chave, descobriria qual é a palavra-chave desse artigo? 

Você já a leu mais de dez vezes e ela já apareceu e em dois títulos (até aqui).

Estratégia e métrica, o inbound marketing é sobre isso. 

Como definir as palavras-chave ideais para sua estratégia?

De forma prática, sua palavra-chave deve ser otimizada de modo que o Google consiga compreender o assunto tratado ali e lançar seu conteúdo nas primeiras opções de pesquisa. 

Uma curiosidade interessante é que, sem elas, o SEO simplesmente não existiria, já que são o fundamento da otimização de busca. E este pequeno adendo foi lançado para você entender sua importância, já que a palavra-chave é o que leva pessoas até sua marca. 

Para defini-las da melhor maneira, siga os passos básicos do estudo de marketing:

  • Conheça seu cliente e entenda o que ele procura;
  • Defina os objetivos do seu conteúdo: você quer mais leads, quer vender mais ou atrair visitantes? Monte seu texto com foco na busca de cada um;
  • Pesquise a sua concorrência: a forma como ela se apresenta pode definir padrões para você;
  • Por último, sempre que possível, invista em profissionais qualificados.

E, se você estiver pronto para otimizar, a Fusão Online pode ajudar você nisso. Sabemos chegar onde você precisa estar. Converse com a nossa equipe!

Sabe aquele desafio que toda empresa enfrenta logo na primeira etapa da venda? Bem, se você é um empreendedor, já respondeu à pergunta: atrair leads.

Você presta um excelente serviço e oferece um produto totalmente confiável, mas, para vendê-lo, é necessário que ele chegue às pessoas.

Aqui, com este exemplo prático, já te explicamos o que são leads. Aqueles tão desejados visitantes que foram atraídos ao seu produto ou serviço pelo conteúdo empregado a favor dele.

Os leads passaram a ganhar destaque importante quando, muito sabidamente, departamentos de marketing passaram a considerar seguidores que interagem, seguem ou compartilham informações como clientes potenciais. O que, de fato, o são.

Estratégias apropriadas podem transformar o lead em consumidor através do contato dele com seu conteúdo e, mais tarde, com representantes comerciais.

Hoje, como sabemos, tudo gira em torno da internet. O que transforma em emergente alcançar leads e aprender a trabalhar na conversão por meio de atração pelas mídias digitais. A partir daí, fica claro que sua marca precisa ser promovida em redes sociais e sites que, quando bem moldados, viram locais amigáveis em que pessoas podem tirar dúvidas sobre temas relacionados sutilmente ao seu trabalho. E, ao longo desse relacionamento construído, elas vão entender que precisam do que você vende. 

Expor o que sua empresa está oferecendo, educando seus clientes em relação aos problemas que eles têm e apresentando as soluções por meio da sua empresa são, sem dúvida, o segredo para o aumento de engajamento do seu negócio, já que, afinal, o que você precisa para vender bem é alcançar pessoas.

Para tirar as dúvidas que possam ter surgido, que tal respondermos à questão fundamental?

Qual o papel dos leads na sua estratégia de Inbound Marketing?

Por inbound marketing, define-se o marketing utilizado para atrair pessoas e, daí, a conexão que procuramos. 

Ao produzir um conteúdo digital, com todo o potencial de sua criatividade e de seu produto, tudo que ali é postado visa agregar conhecimento para o fim do funil de vendas. Em outras palavras, o desejável momento da compra. 

Utilizar inbound marketing pode ser mais vantajoso em termos de atração de leads e mais barato que outras formas de divulgação, basta analisar apropriadamente a gestão do site. 

Seu cliente, como qualquer outra pessoa, procurará mecanismos de buscas na internet para sanar suas dúvidas ou receber ajuda em um problema. E, dessa forma, sem sequer perceber, ele chega até você.

O levantamento das suas informações versus o alcance que elas recebem dentro da sua mídia social é a equação que resolve o agrupamento de leads. 

Ao invés de gastar energia em procurar pessoas que poderiam se interessar sobre seu negócio, você investe seu tempo na construção de informações pertinentes em seu site ou rede social e, assim, atrai muitas mais pessoas que, espontaneamente, interessam-se pelo assunto. 

O que significa que você leva até sua empresa um público muito mais engajado e propenso a realmente consumir seu produto.

 Contudo, mesmo que você os leve até seu conteúdo, ainda é preciso levá-los até o fim da barganha.

Como qualificar esses leads para que eles virem clientes?

Quando você conquista leads, forma-se um processo que chamamos em marketing de “nutrição”. Ele nada mais é que a aplicação de estratégias que qualificam seu lead por meio de informações, orientações, dicas e conteúdos de persuasão. 

Passamos a educar seu lead sobre a qualidade do produto ou serviço que você oferece, induzindo-o à compra.

A internet favorece uma conexão permanente, e leads podem sempre aparecer: às vezes, numa pesquisa no meio da noite, um cliente chega até você.

Neste sentido, o investimento no conteúdo de atração deve ser claro, estudado, específico e contínuo já que o e-commerce nunca para.

Até mesmo o e-mail marketing pode ser configurado com mensagens certas, janelas e pop-ups viram fontes de venda e todo o sistema de relacionamento construído pelo Inbound Marketing começa a gerar resultados para você.

Para compreender melhor o processo de vendas relacionados ao conteúdo, há a possibilidade de gestão de leads scoring, uma ferramenta de marketing que representa uma espécie de pontuação do seu funil de vendas, elevando conteúdos com maior potencial de alcance.

Na Fusão Online, por exemplo, todo conteúdo produzido está associado a estudo de geração de leads: continuamente unimos criatividade aos resultados.

Mapear o comportamento do consumidor em relação à sua jornada de compra é o início de ações que o Marketing Digital, bem implementado, pode fazer pela sua empresa para torná-la bem-sucedida. Antes, é fundamental conhecer o seu público-alvo, uma estratégia que direcionará toda a linha de comunicação.

A partir disso, é preciso garantir que todo o processo de produção de conteúdo de suas páginas sirva de informação suficiente para atrair o público desejado para convertê-lo em cliente, concretizando, desse modo, as suas vendas. Isso é só o começo desta etapa brilhante, que é a jornada de compra. 

Acompanhe a seguir a leitura e conheça as etapas da jornada de compra:

O que é a jornada de compra?

De modo simples, a jornada de compras é o caminho percorrido por um cliente potencial até que, de fato,  torne-se um. Os critérios da jornada especificam as etapas pelas quais consumidores passam até efetivar suas compras pela atração do marketing de conteúdo, sem que eles sequer percebam que estão chegando até lá. Portanto, é de valia que você entenda sua real utilidade.

Qual a importância da jornada de compra?

Oriunda do termo em inglês buyes’s journey, a jornada de compra remete ao criador da marca ou ao produtor do conteúdo quais estágios determinantes precisam ser percorridos e como conquistar o fim da corrida com o máximo possível de clientes na chegada.

A técnica funciona como um mapeamento de leads, com a consciência de que cada um deles (representados por personas que seu negócio atinge) estão em diferentes estágios de maturidade.

A jornada de compra pode definir clientes potenciais para você. Veja mais a seguir:

As etapas da jornada de compra

Conforme mencionamos anteriormente, a fundamentação da jornada de compra está em levar o cliente à compra por meio das referências sutis que um conteúdo bem produzido pode conquistar. Sendo assim, ele sempre começa pela etapa de aceitação:

Etapa 1: aprendizado e descoberta

Neste período, o lead ainda não sabe muito bem o que procura ou não reconhece uma necessidade específica. Como qualquer pessoa em momentos de divagação, ele pesquisa sobre um tema com interesse remoto. E é aí que seu conteúdo começa a mudar seu pensamento, dando a ele a noção de que o produto ou serviço que você oferece resolve problemas que ele ainda nem sabe realmente que tem.

Etapa 2: reconhecimento do problema

Quando seu lead chega até aqui, você começa a provar o valor de sua produção: ele passa a reconhecer que há uma boa oportunidade ou uma possibilidade real de solucionar um problema reconhecido através do impacto causado pelo seu conteúdo. A função desta etapa da jornada de compra é incutir no cliente potencial a necessidade de obter o que você oferece e fazer com que ele se sinta familiarizado com a solução que seu conteúdo oferece, porque é exatamente o que ele precisa.

Etapa 3: a consideração da solução

Após reconhecer uma necessidade, o comprador passa a buscar soluções possíveis, realizando ainda mais pesquisas. E, quanto melhor alimentada sua página estiver, mais tempo ele passará por lá.

O senso de urgência começa então a ser formado com ideias sugestivas que remetem ao velho clichê: não deixe para amanhã o que você pode resolver hoje.

Ponto em que é fundamental que seu conteúdo esteja preparado para transformar a inquietação promovida pelo desejo em concretização da jornada de compra deste consumidor em questão. O que nos leva à etapa final.

Etapa 4: a decisão de compra

A ideia aqui é que a jornada de compra do consumidor sirva de apoio para desestabilizar objeções à obtenção do produto. Com o auxílio do seu conteúdo, ele sente que está pronto para tomar sua decisão e efetiva a compra, convencido de que fez a escolha certa pelo modo como você desenvolveu o potencial de sua marca para atingi-lo.

Simultaneamente, ao concretizar sua jornada de compra, o cliente costuma ter a sensação de que está seguro com o que você oferece pelo modo caloroso como você o acolheu lá no começo de sua procura e permanece fidelizado, evidenciando a importância do marketing de conteúdo assertivo no funil de vendas do marketing digital.

A tática envolve inventividade. Você precisa desprender seus conceitos de conteúdo de ideias generalizadas demais.

Para conquistar esse espaço, invista em criatividade e no modo como um assunto correlato pode chegar ao ponto que você quer abordar.

O marketing digital leva sua marca até onde seu produto puder alcançar.

Converse com a nossa equipe!

Produzir conteúdo para o seu negócio é desafiador e necessário. No entanto, existem materiais ricos que vão auxiliar você a captar mais leads, como webinários, templates, ferramentas, quiz, entre outros que você verá a seguir, que trarão mais clientes para seu negócio.

Na hora em que você decide investir em Inbound Marketing, uma série de dúvidas sobre como compor esse material rico pode surgir. Calma, estamos aqui para ajudar você!

Comecemos respondendo à primeira pergunta, afinal o que é material rico? Acompanhe a leitura.

O que é material rico?

O material rico é um conteúdo produzido de modo a atrair a atenção de pessoas e educá- las num planejamento de conteúdo que visa despertar nelas o interesse pelo seu produto e gerar leads no caminho.

Esse tipo de conteúdo possui características próprias que os diferem bem de outros tipos de materiais, a começar pela extensão. 

Possuem um teor mais explicativo e são notoriamente maiores do que os posts comuns. O tema escolhido é abordado e explorado amplamente, o que pode tornar, consequentemente, o conteúdo final um pouco mais extenso também.

Como vimos, a produção de materiais ricos pode ser feita de várias formas e, quanto maior a criatividade, maiores as chances de sucesso. 

Como criar materiais ricos que sejam atrativos?

A primeira regra que você deve compreender na produção de materiais ricos é que eles são uma estratégia: do esqueleto ao fim da revisão, eles têm o objetivo de levar informação de um modo que sua marca seja lembrada. Então, o melhor conselho que alguém pode dar sobre a produção de material rico é que você foque a estrutura do seu conteúdo em informações relevantes e totalmente ligadas ao seu negócio.

Uma boa maneira de começar é tirando dúvidas básicas que, em geral, são muito pesquisadas pelas pessoas, e a dica que damos é que se defina a persona da sua empresa e estruture todo o material nesse foco.

Quando você começou a pesquisar sobre o tema, os e-books saíram de todo lugar como sugestão. E há uma boa razão: eles são fontes confiáveis na etapa de geração de leads. 

Contudo, selecionamos 7 outras formas de criar materiais ricos que poderão posicionar melhor a sua empresa com resultados extraordinários.

Materiais ricos além dos e-books

Considere inovar usando formas estruturadas ao produzir seu material rico, sempre utilizando o formato desejado como isca – aquele que atrairá mais o público e gerará mais leads para sua empresa.

Webinar

O webinar é uma espécie de videoconferência com formato de seminário. Você interage com as pessoas, tirando suas dúvidas e as convencendo nas mais variadas plataformas. O YouTube é uma das plataformas mais populares, mas o GoToWebinar e o Google Hangouts dão bons resultados também. Já conferiu?

Ferramentas

As ferramentas são muito eficientes na atração de leads, porque ajudam seus futuros clientes na resolução de problemas que um template não poderia, por exemplo. 

Dependendo do seu mercado de atuação, pode ser que um programador seja necessário, e fica aqui o registro que disponibilizar ao público calculadoras, planilhas mais complexas, por exemplo, isso eleva o grau de engajamento e acaba por gerar mais leads.

Kits

Aqui você tem várias opções. Seu material rico pode estar vinculado a dois temas ou mais e pode se referir a algo já postado, como coletâneas, por exemplo, ou agregar vários tipos de produção. 

Note o quanto é comum na produção de e-books com ferramentas, como o uso de tema para iniciantes mais calculadora de testes. 

O material pode ser bem pensado e tornar a aquisição de seu produto ou serviço totalmente necessária pela constante exposição de materiais ricos num pacote só.

Infográficos

A apresentação visual de informações e dados. Quem não gosta de associar uma boa imagem a um conhecimento novo, certo? Mais completos, são usados na produção de materiais ricos de maior dificuldade.

Templates

Os templates também são recursos visuais com informações, mas, diferente dos infográficos, eles focam prioritariamente em  informações mais curtas de até duas frases.

Comparativos

De caráter muito criativo, os comparativos precisam ser produzidos com amplo estudo de publicidade. Esse material rico compara o que você oferece com o produto do seu concorrente,  deliberadamente. O arranjo é geralmente formado por um tom de voz mais amigável, beirando o humor, e requer um bom ponto de vista de marketing.

Guias e demonstrações

Nos guias, você tem uma série de opções: vídeos, tutoriais, blog posts, seleção de fotos, etc. A estrutura dá boas opções de produção de material rico e é um grande gerador de leads. Além de específicos, demonstram a capacidade do seu produto.

Veja que, ao explicar diversos tipos de produção de materiais ricos, procuramos sempre diversificar a ideia. Cada método pode ser aplicado tratando um mesmo assunto de diferentes formas. A construção da persona de sua empresa ajuda a decidir a melhor maneira de aplicar cada estratégia.

Busque estruturar um material rico que cumpra o objetivo de levar clientes até o seu produto. 

E, se precisar de ajuda, a equipe da Fusão online está aqui para construir um novo conceito de material rico para você. 

 

O Inbound Marketing é um conjunto inovador de técnicas de marketing que tem ganhado cada vez mais espaço no mercado.

No modelo tradicional, chamado de outbound marketing, as empresas tentam convencer os clientes a comprar os seus produtos ou contratar os seus serviços por meio veiculação de anúncios que chegam até o cliente em uma frequência repetitiva.

Mas, com o surgimento da internet e a popularização das mídias sociais, esse modo de propaganda se mostrou insuficiente.

Com isso, surgiu o Inbound Marketing, ou marketing de atração. Sua proposta se baseia em fazer o cliente procurar pela marca ao invés de persegui-lo.

E como fazer isso? Através de uma experiência, que pode ser oferecida por meio de mecanismos de busca, blogs, mídias sociais, entre outros. 

A ideia é fazer com que o cliente seja atraído pela empresa por meio de ações que atraem o público para os conteúdos personalizados elaborados de maneira autoral do seu blog ou site. 

Esses conteúdos têm a função de educar o seu público-alvo e tornar a sua marca uma autoridade em conhecimento no seu setor de produtos ou serviços, usando os mecanismos de busca como forma de entrada para influenciar a decisão de compra dos possíveis consumidores.

A partir disso, a empresa pode reforçar o seu valor de marca e iniciar um relacionamento duradouro com os clientes.

Mais economia

Uma das grandes vantagens desse modelo é o baixo custo. A proposta do Inbound Marketing é usar canais digitais e gratuitos para envolver o público, ao contrário das campanhas tradicionais, que exige um alto investimento em anúncios pagos em canais de TV, rádios e revistas, por exemplo.

Por isso, você pode conseguir um alto retorno gastando muito menos do que seria necessário se você optasse por uma campanha tradicional de propaganda.

Qualifica os potenciais clientes

No Inbound Marketing, nós usamos um esquema de etapas chamado funil de vendas para conduzir os clientes pela jornada que vai resultar em compra do produto ou contratação do seu serviço, como já explicamos em nosso texto Funil de vendas: o que é e como inseri-lo na sua estratégia.

Ao pensar nas etapas Atrair, Converter, Fechar e Encantar, a ideia é que você comece atraindo pessoas que não conhecem a sua marca, converta-os  em visitantes, feche o negócio, fazendo com que eles virem clientes, e fidelize esse público ao encantá-los com seu trabalho de pós-venda.

Dessa forma, basta seguir todos os passos para conquistar uma base fiel de clientes e alavancar as suas vendas.

Foca em um público mais nichado

Uma das novidades que o Inbound Marketing trouxe para o mercado é a mudança na forma de se pensar o público-alvo.

Até então, a ideia era tentar divulgar a sua mensagem para o maior número de pessoas possível, sem se importar muito com as características desses indivíduos.

Como a ideia é atrair consumidores em potencial, você não precisa desperdiçar tempo, esforço e dinheiro em pessoas que não têm nenhuma afinidade com a sua marca.

Para desenvolver uma estratégia de Inbound Marketing, um dos primeiros passos é avaliar as características gerais dos seus clientes para definir uma persona.

A persona é um perfil fictício com características como gênero, idade, local, interesses e outras características da sua escolha que servem para ilustrar o seu cliente-padrão e orientar as suas escolhas de marketing.

A proposta é que sempre que você tiver que tomar alguma decisão nesse sentido, possa parar e se perguntar: “Será que a minha persona gostaria disso?”.

Isso vai trazer o foco adequado para as suas ações.

Aumenta as oportunidades de venda

A utilização da internet como campo de relacionamento, a implantação das etapas do funil de vendas para orientar a jornada de compra, o refinamento do público na forma de um persona acabam por produzir muitas demandas de venda.

E como o método é focado não apenas em vender, mas também em fidelizar os clientes, isso garante a multiplicação dos seus atendimentos e, consequentemente, dos seus lucros.

Aumenta alcance e visibilidade da marca

O surgimento da internet transformou profundamente as relações atuais, gerando uma nova forma de viver, se comunicar e consumir. Foram essas mudanças que impulsionaram a criação do Inbound Marketing.

Foi necessário criar uma forma de vender que utilizasse ferramentas digitais para envolver clientes no mundo virtual.

E ao usar apenas a internet como uma plataforma para divulgação da sua marca, você ganha um alcance muito maior para suas ações de marketing.

Outro fator positivo das ferramentas digitais é a possibilidade de segmentação da sua audiência. É muito mais fácil escolher para quem a sua mensagem vai chegar no universo online.

Isso significa que não só o seu empreendimento vai ter mais visibilidade, como também vai ter mais aproveitamento no seu investimento em marketing, pois além de ser visto, vai ser visto pelas pessoas certas.Se você se interessou pelos benefícios do Inbound Marketing, entenda quais são os primeiros passos para começar a sua estratégia com o nosso post Planejamento de inbound marketing: o que considerar ao estruturar o seu?.

No Brasil, 1 a cada 4 empresas entra em falência antes do primeiro ano, segundo dados do Serasa.  No nosso país, as complexidades do cenário econômico tornam o mercado extremamente competitivo para quem sonha em ganhar dinheiro com o próprio negócio.

Por isso, se você quer ter sucesso no seu empreendimento, é preciso desenvolver táticas criativas para se destacar em relação à concorrência.

Um método que pode alavancar as suas vendas mesmo em tempos de crise é o funil de vendas — um modelo estratégico dividido em quatro etapas planejadas para atrair e conquistar clientes em potencial.

Cada uma delas é pensada para levar uma pessoa por uma jornada que vai conduzi-la desde o primeiro encontro com a marca até o momento em que eles se tornam clientes. 

Conheça melhor cada uma delas abaixo e entenda como aplicar o modelo no seu plano de marketing.

Etapas do funil

Aprendizado e descoberta

Esta é a primeira impressão que os seus possíveis clientes terão da sua marca. É uma estratégia muito importante para preparar o público e conduzi-los ao longo das outras etapas.

Além disso, também é um momento em que você vai ter a primeira impressão do seu cliente. Aproveite para entender as suas características e os seus hábitos de consumo.

Você deve procurar conhecer seu cliente para captar qual é a possível ligação dele com a sua marca e, então, para apresentar essa possível conexão a ele 

Essas informações vão ser muito importantes para conduzir o seu público à jornada de compra que pode resultar em mais um cliente fidelizado.

Reconhecimento do problema

A segunda etapa do funil de vendas é sobre gerar necessidades.

Aqui, a ideia é mostrar ao seu público-alvo que ele tem um problema que você pode resolver ou um anseio que você pode satisfazer. 

Até esse momento, essa pessoa nunca percebeu ter uma demanda específica pelo seu produto ou serviço, e a ideia é fazer com que ela reconheça essa necessidade.

Para despertar esse anseio, você tem que usar de táticas que façam com que aquele possível usuário se identifique com as características da marca, ao invés de apenas mostrar seus serviços e produtos à venda.

Consideração da solução

Até aqui, nas duas últimas etapas, você conheceu o seu cliente e mostrou a ele que ele tem uma necessidade ou problema a ser resolvido.

Então, na terceira etapa do funil de vendas, chega o momento de apresentar uma solução que deve ser considerada.

Após cativar e envolver o cliente, mostrando a autoridade e o conhecimento que sua empresa tem, você pode, então, apresentar o seu produto ou serviço para que ele seja apreciado pelo público-alvo.

Decisão de compra

Nesse momento, ao chegar a última etapa do funil de vendas, as pessoas que até então eram parte do público-alvo se tornam possíveis clientes.

Você criou uma relação de confiança que proporciona uma grande abertura para que sua equipe de vendas possa agir, convertendo o lead em um consumidor fiel.

Como inserir o funil de vendas na sua estratégia de marketing

O funil de vendas é um método revolucionário, pois inverte o modelo tradicional de marketing, em que as marcas bombardeiam o público com anúncios constantes para tentar convencer o cliente por meio da repetição.

Nele, a ideia é que você ofereça atraia o cliente até você, dando oportunidade dele te conhecer e, assim, firmar relações de consumo mais fortes e duradouras.

E como fazer isso? Por meio de experiências, que você pode proporcionar por meio de blogs, vídeos, revistas digitais, jogos e muito mais. 

A ideia aqui é mostrar conhecimento para fazer com que os consumidores te vejam como uma autoridade no setor em que você atua.

O importante é oferecer, de alguma forma, conteúdo que seja relevante e interessante e, ao mesmo tempo, que tenha ligação com a marca do seu empreendimento.

Dessa forma, por maior que seja a sua concorrência, com o funil de vendas e as estratégias bem alinhadas de inbound marketing, você pode se destacar ao criar relações com a sua gama de clientes que vão além da compra de um produto ou serviço. 

Para saber mais sobre o assunto, baixe o nosso ebook “Introdução ao Inbound Marketing”.

Todo o comercial de uma empresa precisa de bons contatos para sua estratégia e conseguir convertê-los para as vendas. Por isso, a necessidade de um bom trabalho de inbound marketing.

Acompanhe a leitura e conheça os benefícios do Inbound Marketing para o seu negócio.

Benefícios do Inbound Marketing

É inegável a quantidade de vantagens e benefícios que o inbound marketing traz para o seu negócio, além de facilitar o trabalho do seu time de vendas.

A seguir, listamos 7 benefícios do inbound marketing para garantir o sucesso dos seus resultados, atraindo, convertendo, fechando o negócio e encantando seus clientes.

Atrair o público ideal

É possível atrair o público ideal através de um conteúdo de qualidade, que seja relevante e realmente desperte o interesse do público-alvo, com o inbound marketing. Essas pessoas passarão a aceitar suas recomendações, o que não aconteceria se fosse adotado outro tipo de estratégia.

Encurtar o ciclo de vendas

O ciclo de vendas faz parte da estratégia de vendas de um produto ou serviço de uma empresa e é dividido em fases. Esse processo se inicia desde o primeiro contato com o cliente e só termina nas ações de pós-venda.

A maior parte desse processo é realizado por meio do inbound marketing. Transformar essa etapa de venda em uma ação mais previsível é a forma que o inbound marketing usa para acelerar o trajeto do consumidor até a compra.

Essa otimização faz com que a sua marca consiga maior credibilidade no mercado, convertendo e encantando os clientes de forma mais rápida.

Diminuir os custos

Antes de pensar em diminuir os custos, você precisa conhecer com totalidade os gastos dos setores da sua empresa. Usando a ferramenta de inbound marketing, é possível otimizar todos esses processos e reduzir os custos, pensando sempre na lucratividade do seu negócio e analisando o custo-benefício de cada despesa do seu empreendimento.

Aumentar o ticket médio

O ticket médio é um dos indicadores financeiros mais importantes de um negócio. Ele representa o valor médio que o seu cliente gasta na sua empresa, além de ser fundamental para acompanhar e entender o comportamento do consumidor.

O Inbound Marketing pode ajudar a melhorar o ticket pois, conhecendo melhor as características dos clientes, é possível identificar com mais precisão tudo que eles necessitam e assim inserir mais qualidade nos serviços e produtos oferecidos. Fazendo uma análise de forma correta, a estratégia pode gerar informações relevantes que podem ser utillizadas para a melhoria do negócio como um todo. 

Outro ponto importante é entender como os concorrentes se comportam, quais os desejos e as necessidades dos seus clientes e definir um planejamento estratégico de metas para que você consiga aumentar suas vendas. Estas são as principais fontes de aumento do ticket médio.

Estabelecer um relacionamento mais próximo com os clientes

Além de conquistar os leads mais direcionados e qualificados, o inbound marketing possibilita criar um relacionamento mais próximo e produtivo com seus clientes.

Como mencionamos anteriormente, com um conteúdo bem segmentado, é possível fidelizar seus contatos, solucionando suas dores e deixando claro como sua empresa pode ajudar.

Usando a ferramenta de inbound marketing, o relacionamento entre empresa e consumidor se torna mais sólido e confiável.

Aumentar o poder de persuasão 

A persuasão é uma estratégia de comunicação que tem como finalidade conduzir uma pessoa a aceitar uma ideia ou a realizar uma determinada ação. Mas para que ela funcione e gere bons resultados, deve ser usada com sabedoria para não ser confundida com manipulação.

O inbound marketing é um bom aliado na hora de conciliar expectativas através da persuasão. Essa tática pode aumentar suas vendas de forma idônea, buscando sempre resultados mais prósperos, é fazer com que o cliente fale “sim” para sua empresa e não para concorrência, e preparar para possíveis (e boas) negociações.

Não há dúvida do quanto o inbound marketing pode aumentar seu poder de persuasão. 

Mensurar com qualidade os resultados 

Mensurar resultados é, acima de tudo, uma prevenção para futuros problemas. Num mercado com tanta concorrência, como o marketing digital, é preciso fazer acontecer. Dessa forma, eliminar todas as dúvidas sobre o processo como: quantidade de acessos, compras realizadas, pessoas cadastradas, dentre tantas outras informações, é fundamental.

E isso é possível por meio da estratégia de inbound marketing pois, acessando alguns dados, avalia-se o andamento dos canais de marketing e se obtém maior precisão nas tomadas de decisão diante de possíveis eventualidades.

Diante de tudo isso, usar o inbound marketing para acompanhar o comportamento e o desenvolvimento da sua marca de forma online é essencial para o sucesso do seu negócio.

 

Quem não se lembra de ser interrompido(a) por uma publicidade que nem sempre trazia a solução para os seus problemas? E mais: empurrava produtos de qualidade duvidosa que você nem precisava…

A revolução digital e o comportamento do consumidor ditam as regras da publicidade – ao que tudo indica o tradicional parece ter ficado para trás.

Para se inserir no mercado competitivo, empresas passaram a criar outras formas de encantar e manter seus clientes. Daí surgiu o Ibound Marketing.

Conheça agora todas as etapas dessa estratégia a seguir. Acompanhe a leitura!

O que é Inbound Marketing?

Traduzido como Marketing de Atração, o Inbound Marketing visa se conectar com o público-alvo com conteúdo de valor e relevante. 

Além disso, compõe ações online que objetivam atrair visitantes para um site e convertê-los em consumidores efetivos dos seus produtos ou serviços (os chamados leads).

O Inbound Marketing consiste em quatro fases principais que integram o marketing digital efetivo. Elas são: atrair o cliente, fechar a compra e fidelizar esse mesmo cliente no período pós-compra. Veja a seguir cada etapa do Inbound Marketing.

Etapas do Inbound Marketing

Desmistificar cada uma das etapas e apontar qual caminho seguir são ações importantes e merecem atenção para aqueles que desejam ter resultados positivos. Conheça as etapas do Inbound Marketing abaixo:

1ª Etapa: Atrair

O foco aqui é atrair perfis realmente interessados (qualificados) em obter suas soluções nos canais da sua empresa. Nesta etapa, é preciso se ater a algumas estratégias para que esse público seja cativado.

Como já mencionamos em outros artigos do nosso blog, as ações precisam começar pelo marketing de conteúdo (site, blog, SEO, redes sociais, campanhas), ou seja, produzir conteúdos relevantes que ajudem os possíveis clientes sua empresa.

Considere sempre “prender” a atenção do público, assim a taxa de visitantes poderá crescer significativamente.

2ª  Etapa: Converter

Agora, é hora de converter seus visitantes em leads, isto é, captar o contato deles para iniciar um relacionamento. Nesta etapa, é preciso oferecer algum benefício útil ao visitante em troca dos seus contatos, como nome, e-mail e telefone. 

Parece simples? Bom, nem tanto. Cerca de 97% dos visitantes de um site não são convertidos na primeira visita. Por isso, ter uma boa estratégia pode mudar esse cenário de vez. 

Opte por estratégias como estas: landing pages, pop-ups, banners e formulários, ofertas (webinars, checklists, planilhas, infográficos, ferramentas e e-books).

3ª Etapa: Relacionar

Nesta etapa, o objetivo é manter o lead engajado. É preciso criar estratégias entre ele e sua empresa para que ele permaneça interagindo, com intuito de ele encontrar a solução em sua empresa – note que ele já deve estar em momento de compra. Agora, prepare-se para argumentar, utilize e-mail marketing, fluxo de nutrição e automação de marketing.

4ª Etapa: Vender

Esta etapa ocorre nos processos de Inbound de diversas maneiras, a depender de sua empresa. A venda pode ser online, no próprio site da empresa, ou por meio de um vendedor. 

A tomada de decisão virá depois de o vistante ter passado por todas essas etapas dentro ou fora do seu site.

Na jornada do cliente, é possível verificar exatamente qual é o momento que a venda será realizada. Neste caso, é primordial que se construa uma estratégia de venda mais qualificada que as já convencionais – isso fará toda a diferença e o resultado virá.

5ª Etapa: Analisar

Uma das mais importantes etapas do Inbound Marketing mostra justamente os dados gerados, por meio de análise, por meio de um levantamento dos resultados obtidos nos processos. Com essas informações, é possível mensurar o sucesso das ações, reverter ações que não deram tão certo, otimizar e impulsionar. 

É o processo de avaliar o que funciona na sua estratégia ou não.

O Web Analytics e o Marketing Bi possuem excelentes ferramentas para mensuração e análise de suas ações de Inbound Marketing, por exemplo.

Como usar o Inbound Marketing na sua estratégia

Quando analisamos cada etapa do Inbound Marketing, percebemos a importância na lógica do seu processo. Mesmo que sejam intuitivas, as etapas nos revelam como lidar com as especificidades e nos norteiam a como trabalhar com inteligência e retorno.

Ao descobrir quais as melhores estratégias, a relação com o consumidor terá mais chance de dar certo e o seu negócio prosperar. 

Você pode conhecer mais sobre o Inbound Marketing e as demais estratégias digitais que te ajudarão a impulsionar os resultados da sua empresa, com a equipe da Fusão Online.

A internet possui um vasto universo de dados e possibilidades para a produção de conteúdo. E é por conta desse grande volume de informações que fica mais difícil  selecionar os assuntos a serem abordados. 
Essa é uma atividade que exige disciplina e, especialmente, tempo para escolher os temas, criar peças, escrever, formatar, publicar e analisar os resultados.
Mas com um pouco de organização e uma ajudinha da tecnologia, é possível identificar os temas de interesse para sua persona e elaborar o conteúdo certo para sua audiência!

Entenda como selecionar e produzir seu conteúdo 

É importante ter uma estratégia de produção de conteúdo para sua empresa e definir o principal elemento dessa estratégia: a persona. 

Com a sua persona já definida, é hora de estabelecer os assuntos que serão abordados nas mídias digitais da sua empresa.

Nesta fase, o segredo é fazer uma boa curadoria de conteúdo, isto é, pesquisar, coletar informações e saber quais os temas mais relevantes para sua audiência.

A boa notícia é que, hoje, as redes sociais facilitam muito esse trabalho. Aí vão algumas dicas para você começar a selecionar os tópicos que interessam ao seu público. 

  • Siga seus principais concorrentes nas redes sociais e observe o que eles postam e os seus comentários;
  • Descubra as hashtags (#) mais utilizadas por eles; 
  • Utilize os alertas e assine o feed dos sites mais relevantes;
  • Contextualize-o de acordo com a sua persona — por que isso é interessante para ela?;
  • Defina em quais redes sociais o conteúdo será distribuído e adapte de acordo com as características de cada uma.  

Realizar um bom trabalho de curadoria leva muito tempo, devido à quantidade de informações disponíveis, e é uma atividade que você deve executar com frequência para manter a qualidade do conteúdo e atrair mais público para suas páginas.

Mas é claro que hoje, com a ajuda da tecnologia, existem várias formas de facilitar essa tarefa. 

Conheça agora 12 ferramentas que podem auxiliar— e muito —  no seu processo de produção de conteúdo.

Para encontrar temas relevantes

A seguir, veja algumas ferramentas que trazem insights valiosos para elaborar textos e campanhas para o seu negócio.

1.Google Trends

No Google Trends, você pode pesquisar por um termo ou palavra-chave específicos e saber o volume de buscas por período e região.

Por exemplo, se você possui uma Pet Shop, pode procurar por “Comida para Cães” e a ferramenta mostrará o volume de buscas que essa palavra-chave  tem em sua localização e será possível perceber se essa é realmente uma boa palavra-chave para trabalhar em seus textos e campanhas.

2. Buzzsumo 

Faz o  monitoramento de redes sociais. Com o Buzzsumo, é possível descobrir quais os assuntos mais populares do momento e obter ideias para a produção de conteúdo.

3. Pocket

O Pocket é um jeito fácil de captar e organizar conteúdos da internet em um só lugar. Quando encontrar um artigo, vídeo ou imagem que possa gerar coisas interessantes para seu público, é só salvar no app.

Assim, quando você estiver precisando de ideias para planejar o seu conteúdo, dê uma olhadinha lá e se inspire!

Para redigir seu conteúdo

Escrever parece a parte mais fácil, mas requer organização para lidar com muitas informações ao mesmo tempo e conectá-las de forma que faça sentido.

Veja dois aplicativos super úteis para o redator.

4. Evernote

O Evernote auxilia a registrar tópicos e organizá-los antes de produzir um conteúdo.  Ele possibilita estruturar todas as informações necessárias para você se basear na hora de escrever, armazenando-as como notas, cadernos ou listas de tarefas. O aplicativo está disponível para desktop ou celular.

5. Google Docs

Você já deve conhecer o Google Docs, que é um processador de texto similar ao Microsoft Word. Ele possui todas as funcionalidades do programa da Microsoft, com o diferencial de ser totalmente gratuito, não ocupar nenhum espaço no seu computador e ser mais seguro com relação à perda de dados, salvando o arquivo automaticamente a cada alteração realizada.

Além disso, o Docs possibilita compartilhar arquivos de forma mais fácil e rápida com sua equipe. Para ter acesso a ele, basta ter uma conta do Google.

Para captar imagens e formatar conteúdo 

Seu texto pode ser muito bom e trazer informações extremamente úteis para sua persona, porém vamos ser sinceros: ninguém se sente atraído a ler um conteúdo até o final se ele for apenas um amontoado de palavras.

Posts que contém imagens são, obviamente, mais atraentes e muito mais visualizados do que os demais.

Assim, para conquistar e manter sua audiência, você precisa utilizar também uma linguagem visual adequada.

Por isso, é muito importante buscar imagens e enriquecer o seu texto com outros elementos visuais, como fotos, tabelas e gráficos. Conheça algumas ferramentas que te ajudarão a formatar melhor seus conteúdos (mesmo que você não seja um designer)!

6. Canva

O Canva é um editor de design online onde você encontra uma variedade enorme de modelos prontos para utilizar em todas as suas redes sociais ou mesmo no seu site/blog. Ele é muito fácil de usar, portanto você não precisa ser um expert em design para criar uma peça! Basta escolher  o formato e começar a criar! 

7. Pexels

O Pexels é um banco de imagens free (com licença gratuita). O site contém milhares de imagens compartilhadas por fotógrafos profissionais de todas as partes do mundo, que você pode utilizar à vontade nos seus materiais de marketing, sem nenhum custo!

8. Piktochart 

O Picktochart é um recurso focado na criação de infográficos, apresentações e flyers. Ele conta com cerca de 400 templates prontos, além de muitas variações de cores, imagens e ícones. Ou seja, é totalmente customizável de acordo com as, apresentações e suas necessidades.

E se você acha que montar um infográfico é difícil, não se preocupe, porque a ferramenta oferece um guia para que o usuário aprenda a utilizar todos os recursos disponíveis.

Para publicar seu conteúdo

Gerenciar um blog e mais diversas redes sociais, que precisam de atualização quase que diária, pode virar um verdadeiro tormento se você não adotar uma ferramenta para agendar e automatizar suas publicações.

Felizmente, já existem diversos aplicativos com esta função disponíveis no mercado. Citamos dois deles abaixo: 

9. Buffer

Facebook, Instagram, Twitter, Linkedin… com o Buffer, é possível gerenciar várias redes sociais ao mesmo tempo, garantindo a execução perfeita da sua estratégia. Além disso, ele também permite programar a frequência dos posts. 

Dessa forma, é possível agendar a publicação de um conteúdo pela manhã, outro à tarde e outro à noite, ou repetí-lo periodicamente. Essa é uma maneira muito eficaz de assegurar que a sua marca esteja sempre presente na timeline dos seus seguidores. Mas cuidado para não exagerar na quantidade de publicações.

A ferramenta é gratuita, no entanto, contém recursos pagos. Você encontra versões para Android e IOS, além de uma extensão para o Chrome.

10. Social Oomph 

Quer aumentar seus seguidores? O Social Oomph é ideal para isso! Ele possibilita a programação de publicações e monitoramento das ações dos internautas. 

Também dá para programar a atualização de grupos, compartilhamentos, entre outras atividades, aproximando a sua marca do seu público-alvo e ampliando o alcance das publicações. 

E o melhor é que o recurso é totalmente gratuito, reduzindo seus investimentos de marketing.

Para analisar resultados da produção de conteúdo

Ter objetivos claros, métricas como o alcance, o engajamento, a conversão e fazer a análise periódica desses dados é parte fundamental da sua estratégia de conteúdo. 

A maior parte das mídias digitais já disponibilizam alguns dados automaticamente. Por exemplo, quantas visualizações teve um blog post, a quantidade de seguidores das páginas da sua empresa e o número de curtidas nas redes sociais. No entanto, para confirmar se sua estratégia de conteúdo está sendo realmente efetiva, é preciso ir um pouco mais além. Saiba como:

11.Google Analytics

Não por acaso, essa é a ferramenta mais utilizada para analisar os resultados das plataformas digitais. Com ela, é possível acompanhar informações sobre sua audiência, como localização, gênero e origem dos acessos ao seu website. O acesso ao Google Analytics também é gratuito!

12. Cyfe

A função do Cyfe é medir o ROI (retorno de investimento)  nas redes sociais. Para isso, a ferramenta disponibiliza um painel de informações completo para cada rede que você cadastrar. Assim, é possível  acompanhar diferentes redes sociais ao mesmo tempo.

A ferramenta permite a análise de métricas simples, como o número de curtidas, até um acompanhamento mais criterioso, para saber o que diminuiu a visibilidade ou causou a perda de seguidores. O Cyfe ainda possui um recurso de compartilhamento dos dados em um telão, facilitando as reuniões com a sua equipe.

Possui as versões free e premium, mas dá para tirar proveito da maioria das funcionalidades sem pagar nada.

Todas os aplicativos descritos acima têm a função de automatizar e otimizar tempo na árdua tarefa de encontrar assuntos que sejam úteis à sua persona e fazer com que sua empresa ganhe visibilidade na internet por meio da produção de conteúdo. Portanto, a dica é utilizá-las sem moderação!